Uma matéria de Pedofilia, estupro, moléstia sexual praticada por padre nos deixa indignados, pois esses casos vêm à tona, e os que ficam encobertos? Advogado acompanha reportagem para esclarecer dúvidas.


Uma reportagem como essa exige de nossa parte cautela, não precipitação ao que é divulgado de forma sensacionalista pela imprensa para que possamos esclarecer e informar com verdade e transparência.

Menina de 15 anos, que aparece em vídeo, fazia sexo com padre uma vez por mês há um ano

clip_image002

As investigações sobre o caso do padre Emilson Soares Corrêa, já indiciado por estupro de uma menina de sete anos, ganharam novo personagem. A menina de 15 anos que aparece em um vídeo — divulgado última terça-feira — fazendo sexo com o religioso na casa paroquial da Igreja Nossa Senhora do Amparo foi depor ontem na delegacia. Ela confirmou, em seu depoimento, que participou do flagra armado pelo pai das duas meninas que acusam o padre de estupro e afirmou que mantinha relações sexuais mensalmente com o padre desde os 14 anos. No relato, a menina afirma que ele oferecia pequenas quantias em dinheiro a ela.

— Ela disse claramente que aquela não foi a primeira vez. O relato da menor se aproxima muito do depoimento da outra menina, de 19 anos, também seduzida com presentes — afirmou a delegada Marta Dominguez, da Deam de Niterói.

Ela, porém, deixa claro que, apesar de a menina ser menor de idade, o ato sexual não configura crime:

— Ela tinha mais de 14 anos e não houve violência ou ameaça.

Embora o depoimento da menor não tenha produzido efeitos no inquérito, a situação do padre ficou mais complicada ontem. Um novo relato da menina de 19 anos, que também aparece no vídeo, resultou em novo indiciamento do padre por estupro. A jovem relatou à delegada que o padre a convenceu a fazer sexo oral com ele quando ela tinha apenas 13 anos. O episódio teria acontecido na banheira de hidromassagem em formato de coração que o padre tinha em sua casa paroquial.

— O novo indiciamento deixa o padre em situação mais difícil. Se a denúncia for aceita pelo Ministério Público, ele pode incorrer em concurso material, pois cometeu o crime mais de uma vez — explicou a delegada.

( O Concurso material de crimes, se dá pela repetição do ato criminoso diversas vezes, aumentando bastante sua pena ( se o réu for condenado).

A lista de pecados do padre Emilson Soares Corrêa parece não ter fim, segundo o relato da jovem de 19 anos que afirma ter sido vítima dele desde os 15. Em entrevista ao, ela contou que ele também se relacionava com outras meninas da paróquia. Segundo ela, a mãe foi quem descobriu os abusos, depois de presenciar a jovem sendo agressiva com o pároco. A jovem contou, ainda, que o sacerdote falava que se confessava com outros padres depois que os dois faziam sexo.

clip_image010Você sabe se ele fazia sexo com outras meninas?

Havia, sim, outras meninas. Tinha outra coroinha lá no Cubango com quem ele ficava muito. Não sei se ele abusou dela. Mas eles eram muito próximos. Ela tinha Síndrome de Down.

(essa acusação é gravíssima, pois nesse caso em específico a vítima não possuía total discernimento no que fazia, podendo essa incapacidade ser relativa ou absoluta). Porém nada há de concreto, senão especulação de quem está dando a entrevista. Muitas vezes pessoas simples se empolgam ao ser entrevistadas ou são instigada pelos repórteres a falar algo que possa ter maior repercussão).

Quem desconfiou primeiro do seu relacionamento com o padre Emilson?

Minha mãe desconfiou e veio perguntar para mim, depois que eu e o padre Emilson fomos levá-la ao médico. Ela estava passando mal, com dor no estômago. Ele se virou para ela e falou: “Aproveita se for morrer, que eu estou com material para fazer extrema-unção”. Me revoltei: “Quem deveria morrer é você, que é pecador”. Ela veio falar comigo depois disso.

Como era a relação dele com a sua família?

Ele ia bastante lá em casa. Convidava minha família para ir na missa, cobrava que a gente deveria ir. O que eu ia fazer na missa? Ele rezava missa, dava hóstia para as pessoas, depois de ter feito sexo comigo.

Ele se mostrava arrependido, se confessava?

Falava que se confessava com vários padres diferentes depois de fazer sexo comigo. Quantos padres devem saber o que ele fez?

Você quer ele preso?

Eu quero justiça. Quero que ele vá preso. Ele deve ser louco, uma pessoa que usa a batina para abusar de menores. Minha irmã vai crescer marcada por isso.

Advogado admite que padre fez sexo com ex-coroinha: ‘A carne é fraca’

“A carne é fraca. O padre também é um ser humano”. Assim o advogado Roberto Vitagliano justificou a postura de seu cliente, Emilson Soares Côrrea. O pároco foi filmado quando fazia sexo com uma jovem, que seria menor de idade, na casa atrás da Igreja Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, no bairro do Cubango, em Niterói. Segundo Roberto Vitagliano, Emilson admite que manteve relações com a garota, ex-coroinha, quando ela tinha 18 anos – e não 13 como denunciado pela família. Quanto à denúncia de abuso da irmã da jovem – que teria começado quando ela tinha 7 anos -, o padre nega.

– Ele manteve sim relações (com a jovem) desde o ano passado. É uma moça lúcida, bonita e insinuante. Sabia o que estava fazendo – disse o advogado.

clip_image008

O advogado admitiu que o padre fez sexo com a ex-coroinha,Segundo Vitagliano, o padre foi seduzido pela garota:

– O Emilson é uma pessoa simples e apuração dos fatos mostrará que ele é uma vítima. Tanto que comunicou tudo o que aconteceu ao Ministério Público, em novembro do ano passado, antes de os fatos virem à tona. Essa acusação de estupro é uma deslavada mentira. A criança está sendo manipulada pelo pai.

O advogado não quis comentar o vídeo em que Emilson aparece em cenas de sexo com uma jovem porque não teve acesso a eles.  

O Pai de Uma das Vítimas pode ter tentado Extorquir  O Padre, sendo nesse caso um crime praticado por quem tem o dever de proteger a filha, além da extorsão em si.

A delegada Marta Dominguez, da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Niterói, disse, nesta terça-feira, que o pai que acusa o padre Emilson de abusar sexualmente de suas duas filhas pode ser indiciado por extorsão. Isso porque, segundo a delegada, testemunhas que foram à Delegacia contaram, em depoimento, que o pai chantageava o pároco: caso ele não desse dinheiro ou uma casa para a família, tornaria o vídeo em que Emilson aparece com uma das vítimas público

clip_image011

A delegada disse que o pai da menina pode ser indiciado por extorsão

A delegada já pediu que o pai leve o vídeo à delegacia. Caso ele não o faça em 48 horas, poderá ser indiciado por desobediência. O padre Emilson já responde por estupro de vulnerável. Marta Dominguez estuda o indiciamento dele também por exploração sexual.

O pai das jovens negou a acusação:

– Não existiu nenhum tipo de oferecimento nem de dinheiro nem de imóvel. Tudo está documentado e comprovado.

Ele contou que o padre ia à casa deles pelo menos uma vez por mês:

– Era um absurdo. Minha esposa beijava a mão dele.

Padre mantinha relações sexuais com menor e depois celebrava missas: ‘Eu sentia nojo’, diz vítima (Padre também era padrinho da vítima )

clip_image013

Foram seis anos de uma relação de abusos que a jovem, hoje com 19 anos, quer esquecer. Com o padre Emilson Soares Corrêa, indiciado por estupro de vulnerável, a vítima resolveu falar sobre seu drama que começou aos 13 anos.

– Eu sentia nojo. Ele nunca deveria ter feito isso comigo. O pior é que ele mantinha relações sexuais comigo e depois celebrava missa, dava hóstia na boca dos outros – conta a jovem.

As relações começaram quando Emilson era pároco da igreja Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, no Cubango, em Niterói. Depois, quando ela se mudou para a casa da mãe, em São Gonçalo, o padre também foi transferido para uma paróquia próxima, a Nossa Senhora do Amparo, no bairro Antonina.

clip_image014

Emilson era pároco da igreja Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, no Cubango, em Niterói, Era na casa paroquial das duas igrejas que o padre abusava dela, sua afilhada de batismo. Para convencê-la a ficar com ele, o padre oferecia presentes: – Logo depois do meu batizado, quando eu tinha 13 anos, ele começou os abusos. Passava a mão no meu corpo, me oferecia vários presentes, tomávamos banhos juntos… O ato sexual começou quando eu tinha uns 15,16 anos. Ele dizia que ia me dar uma moto, depois um carro, arrumou a minha casa…

 

clip_image016

Sacerdote é suspenso pela Arquidiocese

Diante da denúncia, a Arquidiocese de Niterói informa que decidiu pela “suspensão temporária do sacerdote”. Atualmente, o padre não é responsável por nenhuma paróquia. O órgão também alegou, em nota, que a acusação está sendo investigada e que “o próprio sacerdote levou a denúncia ao conhecimento do Ministério Público, para que apure a veracidade ou não da mesma”.

A delegada Marta Dominguez disse que só aguarda um depoimento do pai das vítimas para encerrar o inquérito. O padre foi procurado em quatro números de telefone – inclusive aqueles citados em seu depoimento – mas não foi encontrado.

Anúncios

Sobre revistadainternet

Sou Rômulo Soares Albuquerque, nascido em 02 de Março de 1976, formado em Direito desde 1999, com inscrição da OAB-CE sob o número: 13.414 residente e domiciliado em Fortaleza-Ce. E-mail pessoal: romuloalbuquerque.adv@msn.com

Publicado em 28 de fevereiro de 2013, em padre, padre estuprador, menina de 7 anos estuprada por padre, padre de niterói,, Uma matéria de Pedofilia, estupro, moléstia sexual praticada por padre e marcado como , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s